sexta-feira, 15 de junho de 2012

Encare-nos!

Levanto-me com a fúria de todas as forças da natureza
Como um predador a muito adormecido
Agora é pessoal
Eu caminho entre os destroços do que vocês fizeram
Denegrindo minha pátria
Encare-me!
Se você tem coragem
Sedentos de justiça
Cada pai mãe e filho que perdeu pra vocês
Na violência
E o estupro da constituição que vocês fazem
Com os menos instruídos
Mas agora me levanto com todo um povo
De braços dados vamos marchar
Encare-nos!
Se você tem coragem
Nós estamos
Sedentos de justiça
Encare-nos!
Encare-nos!

quinta-feira, 14 de junho de 2012

T.T

É parece que acabou
Mas não sinto dor
Estou sentado no mesmo lugar de sempre
Olhando as mesmas coisas de pras te
Meu peito dói, mas é diferente.
Não é de uma forma egoísta
Talvez eu tenha aprendido a desapegar
Mas eu ñ quero ser assim
Não com você
Não desta vez
Será que eu fui sincero?
Comigo e com você?
Será que eu mereço o que você sente
Sinto-me tão culpado por deste amor não conseguir provar
Do leve afago carinhoso é doloroso estar assim
Mas não posso mais dizer meu amor

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Eu espero!

Meu coração congela nesta fria terra que se tornou seu olhar
Minhas mãos já não querem mais tocar o doce som da harpa
Em meus olhos ainda resta o brilho da esperança
Enquanto nos teus braços eu não me aconchego mais
Parecem espinhos a me repelir como se eu fosse o mal
Andei por terras longínquas para te trazer de volta
Mas o fogo que queima em ti não mais brilha para nós
E como uma estatua de sal você me olha indiferente formal
Durmo agora e para sempre em seu gélido olhar
Esperando talvez um dia despertar
com uma sente lha de lembrança do que te fez me amar.

Adeus Pandora.

O coração de um homem é simples e mais frágil do que se imagina
Você foi minha caixa de Pandora, minha perdição mais perfeita
Ilusão dos que ousam amar mesmo depois do fim

O coração de uma mulher é complexo e mais duro do que se pode imaginar
Eu fui seu brinquedo, seu passatempo, seu joguinho de xadrez
Ilusão dos que ainda querem acreditar mesmo depois do fim

Eu que nada tenho e nada temo
Alem da dor de perder o que jamais conquistei
Agora vejo meu reflexo envelhecido
Amargurado e só.

Adeus Pandora.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Anjo da madrugada

Ela sorri e eu me ilumino por dentro
ela banca a timida e me deicha em chamas
deichando transparecer o melhor de mim
em palavras seria dificil descrever tal beleza
que supera a de helena de troia ou afrodite
nem mesmo o céu e as estrelas possuem tal beleza
nem os melhores musico conseguem fazer uma sinfonia
tão bela quanto o leve susurro de sua vóz
é de talentos tão belos que me faz sentir como um recem nascido
me tem em suas mãos com um só olhar
meu anjo, minha inspiração,minha vida.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Homenagem aos que se foram

1 de janeiro de 2010

Meu descanso começa na dor
Enquanto a terra me engole sem pudor
Minhas verdades, minhas angustias suprimidas
Agora na terra estão escondidas

Nas lamurias de um amor que perdi
De alguém que não conheci
Nas ondas de meu ser inferior
Agora só a terra ouve meu clamor

Eu me despeço em pensamentos
Eu me vejo petrificado como um monumento
Algo histórico, trágico, e sincero

E aos que amo me despeço
Solitário nas entranhas da terra
Esperando uma pequena e singela brecha

Aos poucos me falta o ar
E os sentidos eu perco ao desmaiar
E quando penso que o fim vai chegar
Um anjo vem me resgatar

Não com suas belas asas ou olhar angelical
Mais sim com botas grandes e bondade real
E com sua força me tirou da terra
De onde meus medos agora repousam nela

Obrigado! Não consigo dizer
Minha garganta esta rouca
E sem forças para agradecer

Enquanto me carregam para outro lugar
Vejo o anjo continuar e outras vidas salvar
Bombeiros e pessoas de bem a trabalhar

Acordo dias depois no hospital
E descubro como a vida não é tão mal
Sentado no meu quarto eu agradeço
Obrigado Deus ouviu o meu apelo

janela

Na janela do meu quarto
Eu a vejo passar
Sempre tão bela como um retrato
Eu então me perco a pensar

Nomes não definem tal beleza
E nem os anjos tem forma igual
E mesmo diante de minhas incertezas
Continuo a deslumbrar o seu visual

Amor platônico, tímido e inocente
Que como um espinho arranha meu peito
Doloroso e consciente

Na janela eu sonho com o que não posso ter
Esperando a vida passar ou enlouquecer
Na janela eu sonho com o que não posso ter